Grito Rock Fortaleza movimentou a véspera de Carnaval na Barra do Ceará

A emoção é imensa e o nó na garganta é certo quando lembro de todo o processo passado até chegar o dia 04 de março de 2011, dia em que iríamos realizar a nossa “graduação” no curso de “Produção Cultural Coletiva”, voltado à organização do Grito Rock Fortaleza. Mas é preciso voltar no tempo para que se entenda a importância dessa aventura: nos dias 11, 12, 15 a 19 e 23 de Fevereiro e 3 e 4 de março, 60 pessoas se reuniram para participar do Programa Entrepontos (Programa Integrado de Desenvolvimento para os Profissionais de Música do Ceará). O curso comandado por Marcus Franchi (do Fora do Eixo Brasília – DF) e Ivan Ferraro (RedeCem e Prodisc-Ce) propôs pensarmos: “Que futuro queremos?”.

O programa Entrepontos, criado em 2010, é realizado pela Associação de Produtores de Cultura do Ceará (Prodisc), e tem como parceiros a Rede Ceará de Música (RedeCem), Prefeitura Municipal de Fortaleza, Banco do Nordeste e Sebrae/CE. Com objetivo principal de compartilhar e disseminar a profissionalização de pessoas abarcadas pela música, o programa busca estimular o desenvolvimento sustentável de negócios no campo musical. Em outras palavras o projeto procura fortalecer os mecanismos necessários à promoção e desenvolvimento dos produtos musicais já existentes, mas em alguns casos pouco explorados. O público-alvo desse programa são os músicos, técnicos e interessados em cultivar, conduzir e gerir negócios relacionados à Cadeira Produtiva da Música numa perspectiva solidária.

Os 60 participantes do curso (dentre eles: músicos, produtores, técnicos, comunicadores e interessados em adentrar no mundo musical), foram divididos entre três Frentes de Trabalho: Comunicação, tendo como facilitador Felipe Gurgel; Produção, por Thaís Andrade e Lucas Gurgel; e Técnica, por Fernando Figueiredo e Chicão. A partir daí começava a correria. Pela primeira vez em Fortaleza, esse foi o primeiro Entrepontos num formato mais amplo, contendo palestras e oficinas práticas, além de visitas a pólos como o Centro Dragão do Mar e a sede da TV O Povo.

Grito Rock

“É noite de folia!” Não, calma. Não era ainda, mas era sexta véspera de Carnaval, dia 4 de março, às 17 horas, e daríamos início ao quarto Grito Rock de Fortaleza, dessa vez realizado no Cuca Che Guevara. Com um fiozinho de pôr-do-sol no céu, o evento se inicia ao som do DJ Doido, mandando um bom hip hop enquanto a pista de skate é dividida entre os praticantes dos esportes radicais (skate e do cross frestyle), executando manobras de street e fazendo do espetáculo um momento muito empolgante logo na abertura do festival. O público ainda tímido vai chegando aos poucos e se posicionando nas arquibancadas para assistir os dançarinos de break que empolgavam a galera. Em seguida à performance dos atletas, foram distribuídos brindes da Pena.

Caras Pretas Percussivas e dançarino de break (foto por Nilson Carvalho)

O Caras Pretas Percussivas, de Maracanaú, abriu a noite. E o Grito Rock não seria tão rock se a segunda banda da programação não expressasse tal apologia. Thrunda, a segunda banda da noite, sobe ao palco com um público ainda tímido, mas em pouco tempo consegue atrair a todos e a empolgação começa. Tocando hits como “Mulher de Cabaré” e “Não confie em um homem de terno”, a Thrunda consegue reunir um público considerável e até uma pequena roda punk. Como se não bastasse tocar seu próprio repertório, a banda entoa uma versão do grande clássico de Renato Teixeira e Luiz Gonzaga: “O cheiro de Carolina”, fazendo um pout-pourri com “Xote das Meninas”, de Luiz Gonzaga também.

Enquanto “a peia comia” na frente do palco do Grito Rock, a transmissão ao vivo via twitter também ganhava seu público que assistiu até o fim do evento, fazendo seus comentários e curtindo um bom rock and roll, apesar de o festival acontecer em plena véspera de Carnaval.

Dj Doido (foto por Nilson Carvalho)

Seguindo a programação, o Dj Doido embala o intervalo com um mix de Jorge Ben Jor, Tim Maia, Simonal, dentre outros mestres da música brasileira negra. Era som rolando e break também. Os B-Boys continuavam na área mandando ver na dança e levantando a galera presente.

Às 20 horas, a primeira banda visitante, a Sobre o Fim (Sobral), sobe ao palco. Mal a apresentação começou, já rendia mais uma roda punk e mais peia na frente do palco. O som pesado da Sobre o Fim rendeu à transmissão ao vivo um pico de audiência alta para uma sexta de Carnaval. Era chuva rolando, peia comendo e o público do Cuca adorando. A banda foi bastante aplaudida em sua primeira apresentação no Grito Rock Fortaleza. Quarenta minutos de puro rock, fim da terceira banda da noite. Troca de palco e mais uma vez o DJ Doido manda um bom som levantando a galera, dessa vez com R&B. O som estava tão bom que rendeu comentários no twitter como este, do perfil @feiradamusica: “Atenção, gatinhas na pista, balançando os quadris”.

 

Banda NFúria - CE (foto por Nilson Carvalho)

A quarta banda a tocar foi a NFúria, direto do Pirambu, ao comando dos vocais de Tj Cassimiro e Jordan Medeiros. Bastante conhecida em Fortaleza, a NFúria fez o que melhor sabe: tocar sua mistura de Death Metal e Grindcore. Levantando a todos que gostam do estilo, o show foi bastante envolvente para o público que ainda não dava sinais de querer ir embora, apesar da chuva. A banda ainda distribuiu alguns brindes e continuou a tocar enquanto se formou a maior roda punk da noite.

 

Diogo Pontes e Felipe Marenas da banda Gandharva - PE (foto por Nilson Carvalho)

E além de encerrar a noite do Grito Rock Fortaleza – e no rumo para participar ainda de mais quatro edições do Grito espalhadas pelo Brasil, a Gandharva tocou pela primeira vez em Fortaleza. O público que não os conhecia curtiu bastante o som influenciado por Nirvana, Queens of the Stone Age, Interpol, Foo Fighters. Eles enfrentaram mais de 12 horas de viagem até Fortaleza e tocaram músicas próprias como “Don’t call the cops”, “The roads” e “Sometimes”.

Por Angélica Maia

 

Confira mais fotos do festival no Flickrhttp://www.flickr.com/photos/59987503@N04/
Siga o Grito Rock Fortaleza no twitter@gritorockfort
Adicione o Grito Rock Fortaleza no Facebookhttp://www.facebook.com/gritorockfortaleza

Stop Motion Grito Rock Fortaleza

Já está na web o stop motion do Grito Rock Fortaleza. Uma produção feita pela equipe de audiovisual da Comunicação.

Em quase duas semanas, toda a equipe do Entrepontos esteve envolvida em participar do stop motion fazendo aquele que é o nosso lema:

“O presente é o futuro imaginado no passado”

E com o intuito e a força de produzirmos o maior Grito Rock da América Latina!

Veja:

Falta dois dias para o Grito Rock Fortaleza!

By Diego Mota

Hospedagem Solidária


O Banco Fora do Eixo inicia hoje oficialmente a campanha de Hospedagem Solidária durante o Grito Rock, tendo como uma das metas principais mapear em cada regional as pessoas dispostas a receber artistas e produtores circulantes durante o carnaval, buscando, entre outros pontos, o barateamento da produção do evento, além de Circulação da moeda social.

Além da campanha pontual, no site do Fora do Eixo Card você pode encontrar os formulários da ação que acontece ao longo do ano inteiro. Se você deseja ter uma experiência de intercâmbio e troca intensa de experiência com artistas e produtores de todas as regiões do Brasil, participe da campanha de Hospedagem se candidatando a Ponto de Hospedagem Solidária.

Antes de participar, leia o regulamento e participe da Comunidade da Hospedagem Solidária!

Preencha ao formulário correspondente à sua região:
Participe!

Vídeos das bandas do Grito Rock Fortaleza 2011

Quem nunca ouviu a frase: “uma boa imagem vale mais que mil palavras”? Pois pensando nisso, além de vim falar das bandas que farão parte da nossa programação de 2011, minha missão também é mostrar quem são:

1. NFúria -” O Nfuria  surgiu em meados de 2004 no Bairro do Pirambu e Barra do Ceará, Fortaleza. A Banda vem com propósito de fazer um estilo próprio, juntando elementos do Thrash  Metal, Death/grind e Harde Core. Com letras cantadas em português e executadas por 2 vocais.” Mais informações http://www.myspace.com/nfuria

2. Thrunda – “banda de punk rock da periferia de Fortaleza, uma das mais pró-ativas do nosso selo, está comemorando 10 anos de carreira com o lançamento exclusivo em nosso site da música “Subversão”, gravada no estúdio PANELA DISCOS, com produção da própria banda e técnica de Pablo Huascar.” por Talles Lucena (Panela Discos). Mais informações http://www.paneladiscos.com/wp/bandas-2/thrunda

3. Sobre o Fim – “Atuando desde o final de 2004, a Sobre o Fim nasceu na cidade de Sobral, interior do Ceará, de um projeto que visava integrar o hardcore ao metal, a melodia à agressividade, ao melhor estilo das bandas do New Wave of American Metal, como Killswitch Engage e As I Lay Dying, mas buscando alguma autenticidade e originalidade, com letras de cunho, principalmente, político-existenciais.” Mais informações http://www.sobreofim.com/

4. Caras Pretas Percussivas – “O grupo surgiu a partir das oficinas de musicalização do Ponto de Cultura ABC Cultural – Maracanaú. A proposta musical são releituras instrumentais de clássicos do rock e do blues utilizando-se de instrumentos musicais como: guitarra, baixo e violão, aliados a alfaias, ganzás, caixas e tamboris. O resultado é um som pesado, calcado em influênciais regionais e globais.”

(infelizmente não há vídeos sobre o projeto)

5. Gandharva (PE) – “O Gandharva foi formado em 2008, quando realizou a gravação do 1º EP da banda, em agosto daquele ano. Logo em seguida, a banda foi classificada entre as 16 escolhidas para participar do Festival Microfonia, promovido pela AESO. Após um período de muito trabalho, compondo, ensaiando e amadurecendo o som da banda, o Gandharva entra o ano de 2009 tocando em Natal/RN, no Festival Música Independente.” Mais informações http://www.myspace.com/gandharvaofficial

E aí deu pra ver mais ou menos como será muito muito muito bom o Grito Rock Fortaleza? Então dia 04 de Março apareça no Cuca Che Guevara e confira essas bandas e muito mais do que estamos a oferecer: skate, break, basquete de rua, e muito mais.

Festival Grito Rock América Latina 2011 em Fortaleza (CE).
Dia 04 de março – sexta-feira.
Horário – 18h.
Cuca Che Guevara (Avenida Presidente Castelo Branco, 6417 – Barra do Ceará).
Entrada Gratuita.

Por Angélica.Maia

Grito Rock Fortaleza 2011

Festival Grito Rock Fortaleza acontece dia 4 de março

O Grito Rock Fortaleza chega à quarta edição com as bandas Gandharva (PE), Sobre o Fim (Sobral), NFúria, Thrunda e Caras Pretas Percussivas. O evento acontece pela primeira vez no Cuca Che Guevara na Barra do Ceará.

Grito Rock Fortaleza acontece dia 04 de março, no Cuca Che Guevara (Barra do Ceará), com as bandas Gandharva (PE), Sobre o Fim (Sobral), Nfuria, Thrunda e Caras Pretas Percussivas. Na sua quarta edição, o evento é parte do maior festival de música integrado da América Latina, o Grito Rock América do Sul – capitaneado pelo Circuito Fora do Eixo (www.foradoeixo.org.br). Além da capital cearense, serão 130 cidades em 9 países circulando produção alternativa de música, cultura e novas tecnologias.

Conheça as bandas:

Gandharva (PE) – www.gandharva.com.br

Formada em 2008, quando realizou a gravação do 1º EP em agosto daquele ano, a banda foi classificada entre as 16 escolhidas para participar do Festival Microfonia, promovido pela AESO. Após um período compondo, ensaiando e amadurecendo o som da banda, o Gandharva entra o ano de 2009 tocando em Natal/RN, no Festival Música Independente, e iniciando a produção de “Nine”, 2º EP da banda. Na estrada desde então, tocou no Pré-Amp, festival pernambucano, no Grito Rock de Belém/PA e de Natal/RN, entre outros eventos.

Sobre o Fim (Sobral) – www.myspace.com/sobreofim

No final de 2004, a Sobre o Fim surgiu na cidade de Sobral, interior do Ceará, de um projeto que visava integrar o hardcore ao metal, ao melhor estilo de bandas como Killswitch Engage e As I Lay Dying. Buscando alguma autenticidade e originalidade, a banda vem participando com destaque de vários festivais no estado, entre eles o Pôr do Som, em 2007, e o 2º Festival BNB Rock Cordel, em 2008. No ano de 2009, a banda conquistaria o primeiro lugar no concurso “Bem Vindo ao Clube Empire Records”.

NFúria – www.myspace.com/nfuria

O Nfúria  surgiu em meados de 2004 no bairro do Pirambu, em Fortaleza.  A banda vem com propósito de fazer um estilo próprio, juntando elementos do thrash  metal, death/grind e hardcore, com letras cantadas em português. O trabalho do Nfúria já participou de vários festivais como o Forcaos, Rock Pé de Serra, Rock Cordel e Sexta Rock, entre outros festivais fora do Estado. O grupo agora se concentra para lançar seu primeiro CD.

Thrunda – www.paneladiscos.com

A banda teve início no ano 2000 pelas mãos de adolescentes do bairro Otávio Bonfim, que na época, ouviam muito punk/hardcore dos anos 70, 80 e 90. Há quase 10 anos na estrada, o grupo fez várias apresentações, como as dos festivais Rock Pró-Cultura, Feira da Música, Rock-Cordel, participação no Festival Nóia 2009 e no Ceará in Rock, também em 2009. Em 2007, lançou sua primeira demo, intitulada “Punk Rock na Veia!!!”, e em 2009 lançou o videoclipe da música “Nunca confie em um homem de terno e gravata”, pelo Curso Rock.Doc, realizado pela produtora Incartaz e pela ACR.

Caras Pretas Percussivas –

O grupo surgiu a partir das oficinas de musicalização do Ponto de Cultura ABC Cultural – Maracanaú. A proposta musical são releituras instrumentais de clássicos do rock e do blues utilizando-se de instrumentos musicais como: guitarra, baixo e violão, aliados a alfaiais, ganzás, caixas e tamboris. O resultado é um som pesado, calcado em influênciais regionais e globais.

O Grito Rock América Latina 2011 – www.gritorock.com.br

Em 2009, o Grito Rock cruzou a linha de 50 cidades, em 2010, o festival aconteceu em mais de 70 cidades, já em 2011 chega a 130 cidades, sendo 61 cidades brasileiras, dividido em todas as regiões, justificando assim o título de “maior festival integrado da América Latina”. Além das cidades brasileiras, outras fora dos limites tupiniquins realizam o Grito: Buenos Aires (Argentina), Córdoba (Argentina), Montevidéu (Uruguai), Santa Cruz de La Sierra (Bolívia), San Jose (Costa Rica), San Salvador (El Salvador), Tegucigalpa (Honduras).

O festival nasceu em Cuiabá (MT), no ano de 2001, como uma alternativa, às marchas de carnaval, movida a guitarras, desde então vem sendo realizado intercalando datas entre o período carnavalesco. Hoje se tornou um dos eventos com o “line up” mais diverso do País. Para que aconteça com esta amplitude, foram estimuladas campanhas que auxiliam a produção colaborativa em cada uma das edições, bem como as ações em rede incentivadas pela gestão do projeto.

Grito Rock Fortaleza é uma realização da Redecem, com co-produção do Circuito Fora do Eixo, em conjunto com os coletivos de todo Brasil e conta com parceria das Casas Associadas e apoio do portal Toque no Brasil. Festival filiado à Associação Brasileira de Festivais Independentes – Abrafin. Com o apoio da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Coordenadoria de Políticas Públicas para a Juventude e Cuca Che Guevara; Sebrae (CE) e Banco do Nordeste.

SERVIÇO

Festival Grito Rock América Latina 2011 em Fortaleza (CE). Dia 04 de março – sexta-feira. Horário – 18h. Cuca Che Guevara (Avenida Presidente Castelo Branco, 6417 – Barra do Ceará). Entrada Gratuita. Com as bandas – Gandharva (PE), Sobre o Fim (Sobral), NFúria, Thrunda e Caras Pretas Percussivas .

Atendimento à Imprensa: Gabriela Reis – lugabreis@gmail.com

85 8747 7801 / 85 9910 3135

Entrepontos no Grito Rock Fortaleza

Entrepontos

por Nilson Carvalho

Do Blog da Feira da Música

O Entrepontos – ação de formação prévia à realização da Feira da Música de Fortaleza – teve início em 2011 com o primeiro encontro realizado na capital cearense. Na sede do Cuca da Barra do Ceará (zona oeste fortalezense), cerca de 50 oficineiros inscritos se reúnem desde a sexta (11/02) com os facilitadores. Com dois dias de preparação e estímulo para as oficinas, a abertura trouxe discussões ampliadas sobre economia da cultura, produção cultural coletiva, arranjos produtivos locais e modelos de redes colaborativas (a exemplo, sobretudo, do Circuito Fora do Eixo).

O curso seguiu na terça (15/02) com a abertura das oficinas de Técnicas de Palco e Montagem de Estrutura (com Fernando Figueiredo e Chicão – CE); Noções de Comunicação na Produção Cultural (com Felipe Gurgel – CE); e Produção Cultural e Gestão de Carreiras (Lucas Gurgel e Thaís Andrade – CE).

Com o término das oficinas no último sábado (19/02), o ciclo do Entrepontos do Cuca continua. As três turmas agora estão responsáveis pela organização da quarta edição do Grito Rock em Fortaleza. O Grito é um festival que reúne, em 2011, mais de 130 cidades do Brasil e da América Latina integradas na realização – antes, durante e após o período carnavalesco. A “perna” fortalezense acontece no próximo dia 4 de março (sexta, véspera de Carnaval), no próprio Cuca da Barra do Ceará.

Além do aprendizado teórico-prático das oficinas de Comunicação, Produção e Técnica, os participantes assistiram palestras com relatos de experiências e ampliaram suas noções de economia da cultura e de trabalho coletivo. Os argumentos compartilhados tiveram ênfase na trajetória do Circuito Fora do Eixo. Inclusive, parte dos articuladores nacionais do Fora do Eixo conheceram a dinâmica do Entrepontos, já que estavam em Fortaleza acompanhando o Encontro Nacional da CUFA (também encerrado no último sábado, dia 19).

Agora, as turmas têm o desafio de conseguir levantar a realização do Grito Rock a partir de princípios de sustentabilidade e uso de novas tecnologias de comunicação, como a lista de emails do grupo, batizada de “Arte Entre Cucas”. Como referência de evento trabalhado coletivamente, alguns participantes tiveram como acompanhar, enquanto público, a realização da Noite Fora do Eixo na Sabiaguaba, na última sexta (18).

O tempo é curto e o trabalho precisa correr, tanto que a presença virtual do festival já começou a ganhar corpo desde este último domingo (20). Siga o twitter do Grito Rock Fortaleza: @gritorockfort. E adicione o festival no Facebook.